São Paulo é estado que mais receberá viagens durante temporada de verão
14 de dezembro de 2018

A viagem aérea e o ostomizado – Orientações e cuidados

Ter uma ostomia – colostomia, ileostomia ou urostomia – não deve ser um obstáculo para quem deseja fazer uma viagem aérea. Trabalho ou lazer, sozinho ou acompanhado, descanso ou aventura – viajar é uma atividade extremamente prazerosa. E ninguém deve se privar desse prazer. 

Se por um lado, viajar é ótimo, quando se trata de viagens feitas de avião, alguns cuidados adicionais são recomendados para quem é ostomizado. Confira aqui as dicas que separamos para que você saiba como ter uma excelente experiência em sua próxima viagem aérea, evitando o risco de situações desagradáveis com a sua ostomia.

Orientações e cuidados para uma viagem aérea tranquila

Antes da viagem 

Conheça seus direitos

Em nosso país, assim como em muitos países frequentemente visitados por brasileiros, pessoas com ostomias são consideradas portadoras de deficiência e, portanto, têm acesso a algumas facilidades, como assistência especial e atendimento prioritário, tanto no aeroporto como no próprio avião. Separamos um post do blog Quatro Cantos do Mundo, que detalha melhor o assunto. Além disso, em muitos países é possível solicitar uma rotina especializada de revista e inspeção de bagagem ao entrar na área de embarque, sem a necessidade de exposição da sua ostomia, e com a presença de um acompanhante para ajuda-lo, se for necessário.

Organize sua bagagem

Cuide para ter todos os insumos de que pode precisar nos dois tipos de bagagem, aquela que será despachada e também na bagagem de mão. Tenha sempre com você os insumos necessários para dar conta da sua rotina de drenagem ou troca da bolsa, nos intervalos a que está acostumado, e também para resolver qualquer emergência que possa ter com a sua ostomia (bolsa inflada, vazamentos, etc.).

Claro, quanto mais longo o voo, maior a quantidade de insumos você precisará levar na bagagem de mão. Quando for calcular as quantidades, tenha sempre em mente um pequeno excedente, em função de atrasos e outros imprevistos.

Ter um kit de emergência é indispensável

Esta dica é válida para todos os ostomizados que embarcarem em um voo. Mas o que colocar nesse kit? Como você vai ficar um bom período sem poder sair da aeronave, algumas boas opções são:

  • 2 bolsas adicionais, com os insumos que costuma usar, como pó, pasta, etc.
  • Esparadrapo
  • Calça extra
  • Toalhas de rosto
  • Papel higiênico
  • Sabonete líquido

Uma dica muito útil é levar na bagagem de mão as bases/placas previamente cortadas (se você corta a base, obviamente). Você poderá enfrentar dificuldades ao tentar embarcar portando uma tesoura na bagagem de mão, principalmente nos embarques internacionais. Seja prático!

Alguns produtos, cuja apresentação seja na forma de líquidos ou géis, podem sofrer restrições se estiverem na bagagem de mão, no embarque internacional. Convém checar a regra em cada país onde for embarcar.

Documentação apropriada

Reúna a documentação necessária – ter com você um relatório médico detalhando a situação, justificando a presença da ostomia bem como a necessidade de cuidados especiais é sempre uma boa medida! Lembre-se de solicitar ao médico que inclua também uma relação dos materiais e insumos que você deverá portar, principalmente na bagagem de mão. Se possível, tenha esse mesmo relatório médico (ou uma versão resumida dele), traduzido para o idioma de cada país que você for visitar.

Check-in

Chegue com antecedência – todos os passageiros devem chegar ao aeroporto com um intervalo mínimo do horário do voo. No caso de voos nacionais, a recomendação é chegar com duas horas de antecedência e, nos voos internacionais, quatro horas. Então programe-se para respeitar esses intervalos: além de poder resolver tudo com calma, você terá tempo de sobra para checar a sua ostomia antes do embarque, resolver qualquer situação tranquilamente e garantir uma viagem sem sustos.

Prepare-se para surpresas – enfrentar alguns imprevistos faz parte de qualquer viagem, e isso não é necessariamente ruim. De uma rotina mais minuciosa de inspeção de bagagem, que talvez demande que você abra uma mala e precise dedicar um tempo a explicações, até algum imprevisto com a sua ostomia (desses que todo ostomizado de vez em quando experimenta), esteja pronto para passar por situações inesperadas, às vezes num pais de língua estranha, sem o conforto do dia-a-dia a que você está acostumado. Isso tudo faz parte da aventura da viagem. Encare com bom humor e, no futuro (quem sabe?), esses episódios talvez rendam boas histórias de viagem. 

Durante a viagem aérea

Rotina de cuidados

Mantenha sua rotina de cuidados – não é só porque você está a bordo do avião que vai deixar de lado o seu hábito de cuidado com a bolsa. Assim, se você checa a necessidade de drenagem ou troca a cada tantas horas, isso não deve mudar durante a viagem. Se costuma usar determinados produtos (gelificadores, desodorantes, etc.), não precisa deixar de usa-los. O conforto e a segurança são parte essencial de uma boa experiência de viagem.

Não descuide da ingestão de líquidos!

Hidrate-se – essa regra de ouro vale em qualquer situação, em qualquer país. E vale, claro, se você estiver viajando num avião. A água é uma bebida normalmente oferecida sem custo pela companhia aérea. Caso não seja essa a situação da empresa (ou da classe de voo) que você escolheu, cuide para ter sempre com você uma ou duas garrafinhas. Você pode trazê-las de casa ou do hotel onde estiver hospedado. Caso haja proibição ao embarque portando esse volume de líquidos, você pode deixar para comprar na área de embarque. Em qualquer caso, lembre-se: você deve ingerir entre 6 e 8 copos de água (cerca de 2L) diariamente.

E não esqueça da alimentação!

Atenção à alimentação – não há, a princípio, qualquer restrição na dieta da pessoa que tem uma ostomia. A alimentação deve ser balanceada, respeitando-se a regra de evitar alimentos que possam causar sintomas desagradáveis, como bolsa inflada, odor excessivo nas eliminações, diarreia, constipação, etc. Assim, quando for escolher sua comida no cardápio do avião, ou na lanchonete do aeroporto, dê preferência aos alimentos e temperos que você já conhece.

Após a viagem aérea

Divulgue a sua experiência – viajar é bom demais! Por isso fale da sua experiência, encorajando as pessoas, sejam elas ostomizadas ou não, a aventurar-se pelo país, pelo mundo. Estimule-as para que não deixem o seu medo do desconhecido, ou mesmo alguma experiência negativa que tenham tido, priva-las da aventura e das descobertas que uma boa viagem pode proporcionar.

Sem estresse em viagens aéreas!

Esperamos, de verdade, que as nossas dicas ajudem você a ter uma viagem aérea tranquila. Com planejamento e preparação, qualquer roteiro está ao seu alcance . E aí, já começou a fazer as malas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *